FIQUE POR DENTRO

Cadastre-se abaixo e receba as todas as novidades do Vestida de Mãe!

JÁ SOU CADASTRADO(A)

Quarto do Bebê com Inspiração Montessoriana

Izabella Penna Escabeche é arquiteta, mãe da Stella e colaboradora do blog com suas dicas sobre quarto do bebê e criança.

Olá leitoras queridas! Estava doida para compartilhar com vocês o quarto do Matheus, um bebê lindo que é filho de um querido casal de amigos. Recebi as fotos no início desta semana e vim correndo mostrar o resultado em primeira mão!

Quando fiz a reunião com os pais do Matheus para definirmos o briefing do projeto, a mãe me disse que queria um quarto para que o Matheus pudesse explorar e que tivesse cama baixinha ao invés de berço, espelho e barra na parede e cores neutras. O desejo era um ambiente inspirado no Método Montessori que é na verdade uma proposta pedagógica, desenvolvida por Maria Montessori, médica e educadora.

Os conceitos montessorianos partem do princípio da autoeducação, estimulando a autonomia e a liberdade da criança. E em um quarto infantil todos estes conceitos podem ser traduzidos em um ambiente ao alcance da criança e que ela possa utilizar por conta própria.

“Nunca ajude uma criança em uma tarefa que ela sente que pode realizar sozinha.” Maria Montessori

Eu achei o máximo desenvolver um projeto que prioriza a criança e não somente o desejo dos pais, que muitas vezes querem um quarto com decoração de capa de revista mas nada funcional para o dia a dia da criança. Matheus já está com quase 4 meses e está curtindo muito o quarto. Ele fica enlouquecido quando se vê no espelho!

Relações profissionais

Projeto de Arquitetura de Interiores: Izabella Penna Escabecehe | Decor Petit

Fotógrafa: Mariana Lima

Cama Casinha, cordão luminoso e bandeirola de tecido: Muskinha

Cômoda: Mundo do Bebê

Quadros Urso e Boys will be boys: Fofura Decor

Prateleiras para livros e cestos para brinquedos: Leroy Merlin

Espelho de acrílico: Mercado Livre

 

Lençol, almofada redonda, almofada protetora para cama, manta com pompom e acrílico “feito com amor”: Bubble Bee

Almofadas nuvem: Liten Landa

Almofada chevron: Neném Azedo

Tapete de crochet: @patriciamilcoisas para Muskinha                        

Adesivos triângulo: Loja Pequenas Causas

Luminária pantográfica preta: TokStok

Elefante azul e Macaco: Pano

Trocador americano e porta fraldas: Ateliê da Lica

CONVERSE COM A GENTE

Festa Infantil | Meu Pintinho Amarelinho

A música favorita do filho pode ser o tema de inspiração para comemorar 1 ano! Foi assim com Jorge, o primeiro aniversário foi celebrado em casa, com uma mesa linda decorada pela Jazz Assessoria com tema “meu pintinho amarelhinho”. Ficou cheio de personalidade e muito alegre!

Relações profissionais

Foto: Aline Inagaki (SP)

Assessoria e Decoração: Jazz Assessoria (SP)

Buffet: Divani Gastronomia (SP)

Bolo e Doces decorados: Sweet Carolina (SP)

Docinhos Simples: Cake, Sweet and Sugar (SP)

Forminhas: Celebrity (SP)

Peças: Pop Mobile (SP)

Atração: Espaço Sambalelê

CONVERSE COM A GENTE

Os mitos da alimentação infantil | a crise dos 2 anos

Natália Vignoli é nutricionista, mamãe da Letícia e colaboradora do blog com suas dicas de nutrição para grávidas, mamães, bebês e crianças.

No segundo ano de vida, até os 6 anos, também conhecido como período pré escolar, a criança tem um decréscimo no ritmo de crescimento, ou seja, cresce com velocidade bem menor! Além disso, começa a mostrar mais interesse pelas coisas ao seu redor, esquecendo, muitas vezes, de comer.

A recusa aumenta, as birras também! E isso se dá também com a alimentação. É aqui que levamos um susto e acabamos oferendo bolachas e alimentos de mais fácil aceitação (bisnagas, cereais com açúcar, biscoitos etc) na ideia de que é melhor comer qualquer coisa do que não comer.

Bem, vamos lá:

 No primeiro ano de vida, a criança cresce e engorda bastante. O leite materno é riquíssimo em gorduras e proteínas, justamente visando esse crescimento mais acelerado.

 No segundo ano de vida, a criança cresce e engorda bem menos! Logo, a quantidade alimentar não precisa continuar na crescente que vinha! É comum, estarmos acostumadas com uma criança que vinha comendo um pouco a mais a cada dia, e essa recusa repentina assusta!

 Dos 2 aos 6 anos, a recusa alimentar e os testes de “limites” começam sim.

Então, quais orientações são adequadas nesse período?

 Varie o cardápio e mantenha todos da casa com uma alimentação equilibrada;

 Peça ajuda da criança no preparo das refeições e nas compras, deixe-a envolvida no processo de escolha, compra, preparo;

 Não ofereça recompensas!

 Experimente colocar menos comida no prato;

 Crie metas: colocar 3 ou 5 cores no prato, experimentar 3 vegetais diferentes na semana, escolher 2 frutas por dia para comer. Elabore um quadro divertido com as metas!

 Ofereça sempre! Coma você também. O seu filho deve te ver comendo. Mostre interesse pela comida! Coma com ele!

 Imponha limites. O seu filho deve se alimentar com o que tem disponível na casa (exceções em casos de alergias, restrições e considerando que a família mantem uma alimentação equilibrada);

 A família deve ter hora e local tranquilo para comer. Nesse momento, deixe o celular de lado, desligue a televisão e usufrua do momento em família.

Colunista_Natalia

Relações profissionais

CONVERSE COM A GENTE