Cuidados com a higiene nasal | Por uma vida saudável

Realizar constantemente a higiene nasal em bebês e crianças entre zero e quatro anos é tarefa essencial para preservar a qualidade de vida deles. Por facilitar a drenagem de secreções e evitar o acúmulo de partículas e agentes infecciosos nas vias aéreas, tal cuidado afasta infecções respiratórias, crises de alergia, os famosos resfriados e as gripes. De acordo com especialistas, os pais ou responsáveis devem cuidar da higiene desde o início da vida do bebê, e nos dois primeiros meses a atenção deve ser redobrada, pois nesta fase o pequeno ainda respira exclusivamente pelo nariz e está mais suscetível às doenças respiratórias. Em períodos secos ou locais muito poluídos, a hidratação se faz ainda mais importante. A dra. Maura Neves, otorrinolaringologista do Hospital Universitário da USP, esclareceu algumas dúvidas que podem pintar quando chega a hora de higienizar o nariz dos filhos. Confira, abaixo, colocações dela:

Fatos importantes sobre higienização nasal infantil:

– Com a obstrução das narinas, a passagem do ar torna-se ruidosa e prejudica a respiração, a amamentação e o sono

– Para os recém-nascidos e os bebês de até dois meses, o recomendável é fazer a higiene do nariz antes de cada mamada

– O cloreto de sódio 0,9% é a solução mais indicada para crianças, pois não causa ardência, queimação e irritação

– O mais indicado é que os pais optem por soluções livres de conservantes

– A higienização nasal não tem contra indicações e deve ser feita pelo menos duas vezes ao dia

Em casos de doenças, intensificar as lavagens costuma reduzir os sintomas e, assim, acelerar o quadro de melhora

Influência das condições climáticas
Quando as temperaturas oscilam de forma brusca, a transmissão de gripes e resfriados torna-se mais frequente, pois o sistema respiratório trabalha mais para aquecer e filtrar o ar frio até que ele atinja a temperatura do corpo. “Com o nariz funcionando bem, o sistema de defesa respiratório fica otimizado”, conta a médica, e continua, atentando para soluções atuais: “Hoje, temos a opção de spray nasal com um sistema de bolsa a vácuo que permite a aplicação em qualquer posição além de um bico anatômico, ideal para o tamanho reduzido da narina da criança”.

Como realizar a higiene
Soro fisiológico e não água: a água não é recomendada para tal função, pois sua concentração de nutrientes é diferente da do nosso organismo, o que costuma irritar a mucosa nasal. Escolha o soro fisiológico sem acréscimo de conservante. Para aplicar a solução, use um conta gostas, enchendo-o entre um quarto e a metade.
– Fuja dos cotonetes! A haste flexível de algodão é contraindicada no processo, pois pode machucar o orifício nasal delicado, além de deixar resíduos de algodão que podem dificultar a entrada e a saída do ar.
– Recorra ao aspirador nasal – Este sistema com bolsa a vácuo, disponível com bico de borracha, plástico ou silicone, costuma facilitar a vida dos pais na hora da higienização. Depois de aplicar o soro no nariz no pequeno, comprima o aspirador (que costuma ter formato de pera) com os dedos e encaixe-o na abertura da narina. Quando o bico estiver posicionado, solte a pressão do aspirador, pois isto fará a secreção ser sugada para o interior do produto.

Relações profissionais

CONVERSE COM A GENTE