4 “Q´s” da Alimentação da Criança em Idade Pré-escolar

Por: Natália Vignoli

Ai ai ai, chegou a hora de tirar o filhote debaixo da asa… ele vai para a escola!

Consideramos a fase pré escolar dos 2 aos 6 anos de idade e é nela que a criança começa ter mais contato com alimentos diferentes, estabelece suas preferências e expande sua socialização.

Para apimentar as emoções maternas, a velocidade de crescimento e o ganho de peso nesse período tendem a diminuir, e o apetite… fica bem variado!

Gosto de brincar que temos 4 “Q´s” para seguir que valem para qualquer idade! Eles são: Quando, Quem, Quanto e Qualidade.

Hoje falaremos do Quando e Quem!

Quando: se no primeiro ano de vida a alimentação era realizada em livre demanda, agora é importante estabelecer horários fixos de refeição e determinar seu tempo de duração. Isso acontece na escola e é bom continuar em casa.

Por vezes, ansiosas, as mães acabam deixando a criança alimentar-se na hora que desejam e com o que querem, levando a falta de apetite no momento da refeição e a monotonia alimentar.

Recomendamos um esquema alimentar de 3 refeições principais e 2 ou 3 lanches:

Café da manhã – 8:00

Lanche matinal – 10:00

Almoço – 12:00

Lanche da tarde – 15:00

Jantar – 19:00

Ceia – 21:00 (opcional)

Em geral, comer a cada 3 horas mantém os níveis de açúcar (o principal alimento para brincar e pensar) regulares. Mas é claro que o valor nutritivo também é importante. Iremos esclarecer sobre as melhores alternativas na Qualidade.

Quem: estimular a refeição em família é primordial. Alguns estudos mostraram que famílias que realizavam pelo menos 1 refeição juntas tinham filhos com menores índices de abuso de drogas, álcool e cigarro, melhor desenvolvimento e aprendizagem, melhor vocabulário, além de ganhos psicológicos e emocionais.

Vale ressaltar que o momento da refeição deve ser harmonioso e reservado para tal e não em companhia da televisão ou do celular! É um dos momentos de curtir a família.

Estimular bons hábitos alimentares, incentivar a independência em segurar o talher e em servir-se, esquecer as pressões ou as chantagens a fim de que seu filho coma determinado alimento (devemos expor a criança a dois novos alimentos três vezes na semana), bem como evitar “recompensas ou castigos alimentares”, também contribuem para o desenvolvimento de atitudes saudáveis.

Por tanto, reúna a turma e bom apetite!

No próximo post, falaremos sobre Qualidade e Quantidade.

Relações profissionais

CONVERSE COM A GENTE